13 jul

Conheça a taioba: espécie nutritiva e saborosa da Mata Atlântica

Grande, bonita e ainda desconhecida por muitos, você já ouviu falar da taioba? E se a conhece, já experimentou em alguma receita?

Com o nome científico de Xanthosoma taioba, a planta é também conhecida por uma série de “apelidos”: orelha-de-elefante, mangarás, macabo, mangará-mirim, mangarito, mangareto, taiá ou yautia. Tradicionalmente cultivada no Sudeste do Brasil, é típica da Mata Atlântica, embora também possa ser encontrada em outras regiões.

A taioba se mostra versátil na culinária e saborosa, além de ser rica em proteínas, vitaminas e sais minerais, como ferro, cálcio e fósforo! Já seus tubérculos são fontes de amido.

Ainda pouco encontrada em mercados e feira mais tradicionais, a planta faz parte da cultura indígena e caiçara. Mas atenção, é importante ficar atento, pois nem todas as espécies podem ser consumidas. A taioba tem variações: a conhecida como “brava” (Colocasia antiquorum Schott) é tóxica e normalmente pode ser identificada por seus talos e folhas verde-arroxeadas, enquanto a taioba comestível apresenta folhas e talos verde-claros. Como podem ser bem parecidas, o mais adequado é confirmar com quem conhece antes de comer.

Com aspecto macio e sabor suave, na culinária, seu uso é diverso: refogada, como recheio de salgados e tortas ou em molhos. Mas outro cuidado: ela não deve ser consumida crua, hein? Para prepará-la, o ideal é ferver ou refogar.

Quer saber ainda mais sobre a taioba? Ou quem sabe experimentar delícias que levam essa planta saborosa? Marque uma visita ao Parque das Neblinas e conheça as receitas preparadas pela equipe da Natural da Mata!

Comentários

  1. Os mineiros a consome muito. É uma delícia refogada, vou experimentar fazer uns charutos deve ficar ótima. O difícil é encontrar para comprar !!

    1. Ela é pouco encontrada em mercados e feiras mais tradicionais, e faz parte da cultura indígena e caiçara, Moacir. 😉🌿

    1. Ela é pouco encontrada em mercados e feiras mais tradicionais, e faz parte da cultura indígena e caiçara, Paula. Quer saber ainda mais sobre a taioba? Ou quem sabe experimentar delícias que levam essa planta saborosa? Marque uma visita ao Parque das Neblinas e conheça as receitas preparadas pela equipe da Natural da Mata! 😉🌿

  2. Descobri essa delícia há 08 anos quando me mudei para o interior de MG, onde é muito conhecida.
    Gosto mais da taioba do que a couve.

    1. Que bacana, Edna! A taioba se mostra versátil na culinária e saborosa, além de ser rica em proteínas, vitaminas e sais minerais, como ferro, cálcio e fósforo! 😉

  3. Tenho curiosidade sobre essa planta.
    Tenho um pé aqui em casa mas meu professor de botânica falou que não é a comestível, até me deu algumas características da planta para eu saber distinguir uma da outra. Até trouxe de Florianópolis uma mudinha da comestível acreditando na orientação do meu professor. Tomara que eu não esteja errada.

    1. É importante ficar atenta, Marli! Nem todas as espécies podem ser consumidas. A taioba tem variações: a conhecida como “brava” é tóxica e normalmente pode ser identificada por seus talos e folhas verde-arroxeadas, enquanto a taioba comestível apresenta folhas e talos verde-claros. Como podem ser bem parecidas, o mais adequado é confirmar com quem conhece antes de comer. 😉

    1. É importante ficar atento, pois nem todas as espécies podem ser consumidas, Dirce. A taioba tem variações: a conhecida como “brava” é tóxica e normalmente pode ser identificada por seus talos e folhas verde-arroxeadas, enquanto a taioba comestível apresenta folhas e talos verde-claros. Como podem ser bem parecidas, o mais adequado é confirmar com quem conhece antes de comer. 😉

  4. Meus pais, lavradores, sempre cultivavam e em nossa casa a taioba era consumida na alimentação.

  5. – USE O TALO (o que sustenta a folha): – PUXE A PELÍCULA QUE O ENVOLVE (RETIRE-A). CORTE PEDAÇOS (MAIS OU MENOS DE DEZ CENTÍMETROS), ABRA-OS AO MEIO LONGITUDINALMENTE. PASSE NO OVO BATIDO COM FARINHA DE ROSCA. COMO A MILANESA. FRITE. TEMPEROS A GOSTO. UUUUUMMMMMM ! DE-LÍ-CIA ! >>> (Me convidem)

  6. Deu agua na boca!
    Outra caracteristica importante para identificacao sao as nervuras das folhas que sao de coloracao mais claras do que a lamina foliar.

    1. Com certeza, Marcelo! É importante ficar atento, pois nem todas as espécies podem ser consumidas. A taioba tem variações: a conhecida como “brava” é tóxica e normalmente pode ser identificada por seus talos e folhas verde-arroxeadas, enquanto a taioba comestível apresenta folhas e talos verde-claros. Como podem ser bem parecidas, o mais adequado é confirmar com quem conhece antes de comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe seu comentário