Depoimentos

  As Bibliotecas Comunitárias têm sido uma importante ferramenta pra Suzano na integração com os territórios e oportunidade de contribuição no desenvolvimento de povos e paisagens que nos acolhem. Somos todos (empresas, governos, comunidades, livros) parceiros e partícipes na mudança de realidades por meio da educação, e percebemos no olhar de donas de casa, estudantes, professores, agricultores familiares, ribeirinhos, indígenas, extrativistas, e tantos outros,  a expansão no horizonte de seus pensamentos por meio da leitura. É tempo de colheita e somos gratos por colhermos tantos frutos desta árvore de saberes.  

Adriana Carvalho, Gerente Socioambiental da Suzano Papel e Celulose, mantenedora do Instituto Ecofuturo e patrocinadora direta de 60 Bibliotecas Comunitárias.


  Garantir o acesso à leitura tem se tornado um desafio cada vez maior. A Lei 12.244, sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do país, por si só, não supre a demanda crescente que representa um grande obstáculo na melhoria da educação no Brasil. O Ecofuturo tem contribuído positivamente para a inserção desta agenda, garantindo instituições de qualidade por meio da campanha Eu Quero Minha Biblioteca. A Duratex entende que a contribuição com essa agenda é imprescindível e, por esta razão, investiu na implantação de nove bibliotecas nas localidades onde a empresa atua. Acreditamos que o acesso à leitura e ao desenvolvimento da capacidade crítica do cidadão podem auxiliar na construção de um futuro repleto de oportunidades e no desenvolvimento de novos talentos profissionais.  

Adriana Rosa, Coordenadora de Sustentabilidade e Investimento Social da Duratex, empresa patrocinadora do projeto Biblioteca Comunitária Ler é Preciso.


  A implantação da Biblioteca Comunitária foi muito importante por ter um caráter diferente do que a comunidade estava acostumada. Esse modelo tem movimento. A primeira biblioteca inaugurada na cidade não está inserida a uma escola, por isso, disponibilizamos ônibus para a população frequentar a unidade com programação mensal. Na segunda unidade, dentro de uma escola, a iniciativa contagiou os professoras para atividades de leitura e os alunos estão muito mais envolvidos com o estudo. O município tem agora um olhar diferente para a leitura.  

Marisa Aparecida Octaviani, Diretora da Secretaria de Cultura de Agudos (SP).


  Implantamos a primeira unidade da Biblioteca Comunitária Ler É Preciso em Agudos há cerca de dois anos. Desde então, temos trabalhado com saraus literários, contação de histórias e encontros entre alunos e autores. Essa é uma importante ferramenta para aproximar sociedade, crianças, cultura e educação.  

Everton Octaviani, Prefeito do Município de Agudos (SP).


  Todo conhecimento é encontro, e todo encontro é surpresa. Para mim, o encontro com a Biblioteca Comunitária foi uma surpresa. O espaço é acolhedor e cada dia que passo por lá agrego conhecimento de vida e cultura através da leitura. A biblioteca veio a contribuir com a construção cultural da cidade de Itapetininga.  

Juliana Prado, usuária da Biblioteca Comunitária de Itapetininga (SP).


  Para falar da importância da Biblioteca Comunitária, cito uma frase de Monteiro Lobado: ‘Um país se faz com homens e livros’. O mesmo que fez a incrível façanha de inserir, por gerações, milhares de crianças no mundo da literatura e do sonho. Enfim, um grande programa de incentivo à leitura e à cultura é tão importante como um programa de incentivo ao crescimento econômico. Dentre as contribuições para o município, destaco:
• Causa impacto positivo no rendimento escolar;
• É a grande amiga do Projeto Pedagógico da escola;
• Aumenta o nível de conhecimento, competências e capacidade de leitura;
• Fortalece as habilidades de escrita e de argumentação;
• Desenvolve valores essenciais para o bom convívio social com solidariedade, cuidado, tolerância, criatividade e cidadania, por meio de interação com os livros, leitores e leituras;
• Incrementa a capacidade de análise crítica;
• Possibilidades da criança e adolescente tornarem-se bons leitores.  

Waldemir Rodrigues de Melo, Secretário Municipal de Educação e Cultura de Agudos (SP).


  Entendemos que as bibliotecas são espaços voltados para leitura, e uma biblioteca bem estruturada pode se tornar uma ferramenta poderosa na formação de leitores, quando são realizados projetos que visem desenvolver o hábito de frequentá-las. No caso da biblioteca instalada em Botucatu, ela vem preencher uma lacuna na formação da comunidade, dando oportunidade de acesso à população daquela região carente, um local de pesquisa, de acesso à informação e de momentos de lazer, pois a leitura, em nosso entendimento, é uma ferramenta indispensável se queremos, como representantes do poder público, transformar nossos munícipes em uma sociedade com capacidade para ser realmente livre e atuante.  

João Cury, Prefeito de Botucatu (SP).


  Prefiro ficar aqui lendo, é melhor que fazer outra atividade. Assim, eu peço para a tia [professora] para deixar eu ficar na biblioteca. Daí toda vez que eu venho com a escola eu quero ficar aqui tranquilo lendo uma história.  

Guilherme Andrade, 10 anos, usuário da Biblioteca de Uberaba (MG).


  Nós tínhamos vergonha de falar e ler na frente das pessoas. Tínhamos preguiça de ler. Mas agora nós aprendemos a ler e a entender os livros.  

Guilherme Costa de Resende, estudante e usuário da biblioteca Imbiral (MA).


  As crianças daqui ainda não tinham sonhos, porque não tinham livros para ler, só tinham livros didáticos. Agora posso ajudar meu filho a ler e sonhar.  

Eurismar Cavalcante de Sousa, dona de casa e usuária da biblioteca Imbiral (MA).


  A biblioteca foi um sonho realizado, pois já fui aluna da Escola São Félix e, na época, meu sonho era ter um espaço como esse. Hoje, tenho orgulho em dizer que o sonho não é só meu, mas de muitos outros estudantes, e que se concretizou. Poder fazer parte da biblioteca é um privilégio, levar o conhecimento a outras crianças por meio da leitura e dos projetos que desenvolvo, me deixa bem feliz. A biblioteca sem dúvidas mudou a vida da comunidade e é de grande importância em todos os sentidos.  

Giovana Cardoso, funcionária da biblioteca de São Félix (MA).


  Desde o momento da inauguração, partindo dos próprios alunos, notou-se o grande interesse pela leitura e a presença de leitores da comunidade.
O método usado pelo projeto é bem interessante, pois envolve parcerias que, ao nosso ver, é de suma importância, já que proporciona maior envolvimento da comunidade com a escola.  

Josemias, funcionário da biblioteca Imbiral (MA).


  A escola pode fazer parte da biblioteca e a comunidade também e, quando chego lá, sou bem recebida. Tem todos os tipos de livros, a comunidade pode ler e aprender, quanto mais se lê, mais se aprende. Eu gosto bastante da biblioteca, pois podemos pegar os títulos que quisermos, agradeço ao Ecofuturo e aos demais por terem feito a Biblioteca na Escola Cícero Moraes de Brito.  

Gabryella Chaves, 11 anos, e usuária da biblioteca de São Félix (MA).