04 set

Infraestrutura das bibliotecas – I: disponibilidade e organização do espaço físico

Nos últimos dois meses, temos destacado, a cada post, as condições imprescindíveis para o funcionamento adequado das bibliotecas. Já falamos de formação continuada dos profissionais de biblioteca, integração da biblioteca escolar com o planejamento pedagógico, acessibilidade, atendimento estendido aos finais de semana e feriados, articulação entre biblioteca, poder público e comunidade, atualização de acervos a partir de recursos públicos, uso de mídias sociais e a diferença entre contar história e ler em voz alta. Para o mês de setembro, reservamos uma série de posts destacando a infraestrutura das bibliotecas em todos os seus aspectos, como o estado ideal de conservação do espaço físico, qualidade do ambiente interno, recursos e equipamentos e organização e disponibilidade do espaço.

 
Comecemos por este último. No post de hoje destacamos a importância da organização do espaço da biblioteca e sua disponibilidade de “tamanho”, a divisão de espaços (leitura, infantil, adulto), metragem, circulação entre as estantes, espaço para funcionários, espaço para circulação dos usuários e banheiro.
 
 
Tudo vai depender das necessidades e dos serviços prestados pela biblioteca, que precisa dispor de uma área suficiente para o desenvolvimento das suas atividades. Mas um ponto comum a todas elas é a acessibilidade: uma biblioteca é acessível quando eu, você e os outros podemos acessar com a mesma eficiência e qualidade serviços que são direitos de todos. Já abordamos este tema em um post à parte, que pode ser conferido clicando aqui. http://migre.me/aApHW
 
Quando se trata de planejar o espaço, devem-se levar em conta três aspectos básicos: área de armazenamento (local do acervo), área de atividade (espaço dos leitores e dos bibliotecários) e área de circulação. O espaço da biblioteca deve ser suficiente para abrigar o acervo, os leitores (uma classe inteira, quando a biblioteca funciona dentro de uma escola), outros usuários e o local de atendimento.
 
É importante ter em mente que é dentro desse espaço que uma cultura leitora se constrói e se fortalece. Portanto, um espaço acessível e amplo, bem distribuído, com fácil circulação, ambientes confortáveis de leitura, bem iluminado e com banheiros disponíveis assegura a permanência do leitor na biblioteca. Em localidades com pouca estrutura e opções de lazer, um espaço assim organizado é um atrativo considerável para os membros da comunidade. Além de um espaço agradável e convidativo a leituras e pesquisas, deve ser um espaço aconchegante, propício ao compartilhamento de informações, trocas, aprendizagem e à leitura em todas as suas formas e possibilidades.
 
 
Existem parâmetros nacionais que determinam a metragem adequada para cada ambiente e para a disposição do espaço das bibliotecas e as condições técnicas de funcionamento, considerando: temperatura, umidade e ventilação, pisos e paredes, iluminação, ruídos, segurança, área de armazenamento, área de atividades, mobiliário e layout. Alguns dos itens podem variar de uma biblioteca para outra, dependendo do local em que se insere, dos recursos financeiros disponíveis, do número de usuários a serem atendidos, dos serviços prestados e das perspectivas futuras. Os detalhes desses parâmetros podem ser consultados ao final deste post, a partir de um link que disponibilizamos para uma publicação detalhada sobre o assunto. Mas, em linhas gerais, podemos destacar as condições mínimas exigidas para o funcionamento desses espaços. Vejamos.
 
 
Disponibilidade e organização do espaço da biblioteca:
 
• Área interna de pelo menos 50m² (podem existir variações de acordo com o tamanho do acervo e público atendido);
 
• Espaço adequado para o desempenho dos funcionário (mínimo de 4m² por funcionário);
 
• Organização do espaço interno que abrigue espaços de leitura para adultos, jovens e crianças;
 
• Facilidade de circulação entre as estantes;
 
• Espaço para acomodar todo o acervo no interior da biblioteca;
 
• Assentos e espaço suficiente para abrigar confortavelmente uma classe inteira e os demais usuários.
 
Em se tratando de bibliotecas escolares, o Grupo de Estudos em Biblioteca Escolar – GEBE, da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, estabelece os seguintes parâmetros, entre o nível básico e o exemplar:
 
– A Biblioteca Escolar conta com espaço físico exclusivo, acessível a todos os usuários:
 
• no nível básico: de 50m² até 100m²;
• no nível exemplar: acima de 300m².
 
– A Biblioteca Escolar possui assentos para acomodar usuários que ali vão para consultar os materiais e/ou realizar atividades:
 
• no nível básico: assentos suficientes para acomodar simultaneamente uma classe inteira, além de usuários avulsos;
• no nível exemplar: assentos suficientes para acomodar simultaneamente uma classe inteira, usuários avulsos e grupos de alunos.
 
– Além de ambientes para os serviços fim, a biblioteca escolar conta com ambiente para serviços técnicos e administrativos:
 
• no nível básico: um balcão de atendimento, uma mesa, uma cadeira e um computador com acesso à internet, para uso exclusivo do (s) funcionário (s);
• no nível exemplar: um balcão de atendimento e ambiente específico para atividades técnicas, com uma mesa, uma cadeira e um computador com acesso à internet, para uso exclusivo de cada um dos funcionários.
 
Dois casos inspiradores
 
Em Cabo de Santo Agostinho/PE, a Biblioteca Comunitária Ler é Preciso é amplamente abrigada pelo Centro Cultural Mestre Dié. Adaptada para pessoas com deficiência, a Biblioteca conta com 300m², onde disponibiliza um salão de leitura de 200m² em que estão dispostas estantes com acervos para crianças, jovens e adultos. Além disso, possui uma sala multimídia que atende a todos os setores do Centro Cultural. Equipada com vários armários, uma ampla e privilegiada área para organizar acervo, materiais e espaços de leitura, possui ainda um gabinete e sala de coordenação, onde fica também a documentação administrativa.
 
Informações:
 
Biblioteca Comunitária Ler é Preciso de Cabo de Santo Agostinho
Rua Luís Pereira da Paz, s/n°, Ponte dos Carvalhos, Cabo de Santo Agostinho/PE. CEP 54580-000.
Inauguração: 29/05/2012
Local: Centro Cultural Mestre Dié
Contato: valderlandiape@hotmail.com
 
 
Na Vila Idelmar, em Açailândia/MA, a Biblioteca Comunitária está instalada em uma comunidade com poucas opções de lazer e cultura, com mais de oito escolas no entorno. Em vista disso, a Biblioteca, abrigada pela Escola Municipal Fernando Rodrigues de Souza, precisa de uma infraestrutura que receba muitos usuários. O espaço é amplo, com dois banheiros – feminino e masculino –, também amplos e bem conservados. Para otimizar a organização do espaço, que é aberto à comunidade, a Biblioteca construiu uma via de acesso diretamente da rua, além da que já existia nas dependências da escola. Ações como essa facilitam e incentivam a visitação da comunidade, além de garantir maior segurança aos alunos e funcionários, uma vez que a escola não precisa de servir de passagem para todos os usuários da biblioteca.
 
Informações:
 
Biblioteca Comunitária Ler é Preciso José Carlos Trintade – Zezão
Rua 28, quadra 186, lotes 180-189, Vila Ildemar, Açailândia/MA. CEP 65930-000.
Inauguração: 11/08/2011
Local: Escola Municipal Fernando Rodrigues de Souza
Contato: zeilaferradaes@hotmail.com
 
 
Equipe responsável: Instituto Ecofuturo
 
Texto: Reni Adriano
 
 
Para ir além
 
Organização de Bibliotecas: Espaço Físico – Klytia de Souza Brasil Dias da Costa. Para ler, clique
 
Biblioteca Escolar como espaço de produção do conhecimento: parâmetros para bibliotecas escolares – Grupo de Estudos em Biblioteca Escolar – GEB. Leia aqui
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe seu comentário