11 set

Infraestrutura das bibliotecas – II: mobiliários, recursos tecnológicos e material de escritório

 Já combinamos que o mês de setembro, no nosso blog, será dedicado às questões relacionadas à infraestrutura das bibliotecas. Dividimos o tema em quatro partes, para facilitar a nossa conversa. Já tratamos da disponibilidade e organização do espaço físico, na semana passada; agora é a vez de falarmos de mobiliários, recursos tecnológicos e material de escritório adequados ao bom funcionamento da biblioteca. E desta vez também vamos por partes, orientados pelas publicações Biblioteca da Escola – Direito de Ler, da Fundação Biblioteca Nacional, e Biblioteca escolar como espaço de produção do conhecimento – parâmetros para bibliotecas escolares, da Universidade Federal de Minas Gerais. Nosso texto foi adaptado, mas, ao final do post, você encontra os links para a íntegra desses materiais.

 
Mobiliário
 
Lembra do poeta que uma vez escreveu que “beleza é fundamental”? Pois isso se aplica às bibliotecas. Se junto à funcionalidade do mobiliário pudermos cuidar um pouquinho da parte estética, os leitores se sentem acolhidos no espaço e vão querer passar mais tempo na biblioteca. Então, passemos às questões práticas, mas considerando uma boa dose de carinho e de beleza.
 
Os mobiliários existem para garantir quatro funções básicas:
 
Atendimento adequado aos usuários e boa gestão do acervo. O que demanda um balcão de atendimento ou escrivaninha, mesa com cadeira, computador com impressora e acesso a internet e um armário para os materiais de escritório. Caso o funcionário seja uma pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida, é preciso levar em conta as necessidades dele.
 
Conforto aos usuários, interesse do leitor e a organização do acervo. Com cadeiras, mesas e estantes para adolescentes, jovens e adultos que desejam ler e pesquisar na biblioteca. Novamente – e sempre – a acessibilidade deve ser considerada. Mobiliários acessíveis, como, por exemplo, mesas largas o bastante que possam acomodar uma cadeira de rodas, devem ser disponibilizados;
 
Espaço adequado ao público infantil. Com mesas, estantes e cadeiras – que devem ser mais baixas –, tapetes de borracha e almofadas. O acervo deve ser mantido sempre no nível de visão do frequentador e com as capas voltadas para fora – afinal, nesta fase, o encantamento pelo livro começa pela capa.
 
Espaço adequado, seguro e confortável para os bebês. Com livros específicos para eles, tapetes e estofados pelo chão. O ambiente, claro, deve ser colorido e alegre.
 
Quais os móveis necessários à instalação de uma biblioteca e como torná-los atraentes? Alguns exemplos
 
Balcão de empréstimo. Móvel básico para a organização e funcionamento da biblioteca, serve para o atendimento ao leitor, a inscrição, o registro e o fichário de empréstimos. Caso não esteja disponível, pode ser substituído por uma escrivaninha ou mesa de escritório.
 
Estantes. Devem ter alturas variadas, sendo as mais baixas para facilitar o manuseio dos livros pelos menores. Recomenda-se a altura de pelo menos 1,50m, com prateleiras móveis que se ajustam aos livros. Se puderem ser coloridas, melhor! As estantes mais altas são recomendadas para os livros juvenis e livros preferenciais de jovens e professores.
 
Expositores verticais inclinados. De fácil confecção, permitem que os livros sejam expostos de frente, de modo que as capas atraiam a garotada. Os expositores podem usados para apresentar as novidades da biblioteca ou para apresentar os livros separados por tema.
 
Mesas redondas. As de 1m a 1,20m são indicadas para trabalho em grupo. As mesas escolares e individuais servem também para leitura e, quando agrupadas, podem ser utilizadas para trabalhos coletivos.
 
Materiais de escritório e outros acessórios
 
Os matérias de escritório e outros acessórios têm uma função especial na biblioteca, pois ajudam os funcionários a se organizarem diariamente e a manter a ordem, facilitando o atendimento aos usuários. São eles: Fichários, arquivos e outros suportes.
 
Arquivos. A biblioteca da escola precisa ter, pelo menos, um arquivo com pastas suspensas para organizar os documentos administrativos, relatórios, planos e projetos. Portanto, um arquivo com quatro gavetas, para iniciar, é o ideal.
 
Fichários ou catálogos. Pequenos móveis, com diversas gavetas, para guardar as fichas catalográficas com as notas bibliográficas de cada obra, para facilitar a recuperação do livro. As gavetas, com o tamanho padrão de aproximadamente 7,5 x 12,5 cm, são identificadas com indicação do tipo de ficha que guardam. Por exemplo, fichários de AUTOS, de TITULO, de ASSUNTO, de SERIE ou COLEÇÃO e TOPOGRAFICO. Neste último fichário é que ficam as fichas são arquivadas pelo número de classificação.
 
Fichários de empréstimos. Podem ser fichários de mesa, de acrílico, de aço ou feitos por encomenda. São necessários dois: um para guardar as fichas de inscrição – em ordem alfabética ou divididas por turma, no caso das escolas –, outra para as fichas dos leitores que estão com livros emprestados. Quando o leitor devolve o livro, a ficha retorna para o primeiro fichário.
 
Murais. Devem ser colocados em locais visíveis por todos e de fácil acesso. Importantíssimos para divulgar a programação da biblioteca, novos livros recebidos e avisos de exposições, podem também expor trabalhos de alunos e notícias de interesse da comunidade escolar – o que é um ótimo atrativo para despertar o interesse dos usuários. A divulgação deve ser afixada em altura que facilite a leitura do público interessado.
 
Porta folhetos. Uma das maneiras mais simples e atraentes de despertar o interesse pelo acervo da biblioteca são os folhetos confeccionados em papel colorido, com bibliografias temáticas de interesse do leitor. Para saber o que interessa aos leitores, que tal uma caixa de sugestões ou um caderno onde possam expressar livremente suas opiniões e curiosidades? Em nossas Bibliotecas Comunitárias Ler é Preciso, por exemplo, a nossa publicação Diário do Leitor é utilizada para que o leitor expresse o que achou do livro que leu e deixe como dica na biblioteca, para que outros usuários possam consultar.
 
Caixotes coloridos. Facilmente encontrados no mercado, servem para separar determinados acervos mais manuseados ou que não fiquem bem acondicionados nas estantes tradicionais, como gibis, livros de pano e qualquer tipo de acervo que precise ficar em evidência. Também podem ser utilizados para o cantinho infantil e para a realização de leitura itinerante, facilitando o transporte do acervo para comunidades distantes e para outras escolas que porventura não tenham biblioteca.
 
Tapetes e almofadas. Se houver espaço, tapetes – de preferência de borracha, por serem fáceis de limpar e antialérgicos – e almofadas podem formar um outro canto de leitura, possibilitando a descontração bem ao gosto dos jovens leitores.
 
Varal. É utilizado para pendurar livros que queremos pôr em destaque durante algum tempo. Pode-se, por exemplo, incentivar as crianças a colocarem no varal os livros de que mais gostaram, e dessa forma elas estarão indicando leitura para os colegas. E aqui vale uma observação importante: o varal não é o local ideal permanente para os livros, mas um suporte temporário para livros sobre os quais se quer chamar a atenção.
 
Computador e telefone. Telefone e computador com impressora e acesso à internet devem funcionar de modo adequado, para viabilizar o atendimento ao público e o trabalho dos funcionários da biblioteca. Os computadores conectados à internet devem estar disponíveis para a equipe de funcionários, que pode utilizá-los para organizar e controlar o acervo e demais atividades administrativas, mas também para os usuários, que terão autonomia para realizar suas pesquisas. Desse modo, o uso da internet na biblioteca é uma fonte de informação complementar ao acervo.
 
Recomenda-se pelo menos um computador com acesso à internet para uso exclusivo de professores e alunos em atividades de ensino e aprendizagem. Mas o ideal é que os haja para uso exclusivo de professores e alunos em atividades de ensino e aprendizagem em número suficiente para uma classe inteira.
 
 
 
Três bibliotecas para nos inspirar
 
Biblioteca Comunitária Ler é Preciso de Botucatu/SP`
 
Embora não seja muito grande, a Biblioteca acomoda uma classe inteira por vez, há espaço para estudo, leitura no local, atividades para crianças e espaço para atendimento. Além disso, consegue acomodar simultaneamente dois usuários nos computadores de consulta. A Biblioteca possui quatro estantes de aço duplas, quatro estantes de aço simples, uma mesa redonda de madeira, quatro cadeiras de adulto, duas cortinas de renda, cinco expositores de madeira para livros infantis, um tatame, três computadores, uma impressora, uma TV, um DVD, um balcão de atendimento em L de madeira, duas mesas de madeira para computador, uma cadeira giratória de plástico, duas cadeiras de plástico para computador, três pufes grandes, quatro estantes de aço pequenas, duas mesas infantis de madeira com oito cadeirinhas, um móvel com várias prateleiras, quatro lixeiras de madeira e uma poltrona infantil.
 
Endereço: Rua Monsenhor José Maria da Silva Paes, s/n – Jardim Brasil, Botucatu, SP. CEP 18604-330
Local: EMEF Professor Paulo Guimarães
Inauguração: 26/04/2012
Responsável: Sandra Regina Rossito Ferraz Pinto
Contato: Sandra.rossito@botucatu.sp.gov.br
 
 
Biblioteca Comunitária Ler é preciso de Pardinho/SP
 
Local amplo, claro e ventilado, comporta espaço para estudo, leitura e atividades de promoção de leitura, nos ambientes internos e externos, uma vez que o centro cultural que abriga a Biblioteca está instalado numa linda praça. Há uma sala reservada para o acervo infantil e outra, para o acervo adulto. O centro cultural fica em um prédio totalmente construído visando a sustentabilidade, com todo o material reaproveitado e poucas paredes de alvenaria – a maior parte delas é de vidro, o que dificulta decorá-las. Em uma das paredes do acervo, há um bonito banner recobrindo toda a sua extensão, decorando o espaço do acervo adulto e juvenil. Já a sala do acervo infantil é colorida pelas estantes, pufes, tapetes e pelos livros.
 
O mobiliário é composto por duas mesas de fórmica em formato hexagonal, dez cadeiras também de fórmica, doze estantes de aço, um baú de madeira, dois expositores de livros, quatro pufes, um tapete de EVA, uma barraca infantil, dois brinquedos pedagógicos, duas poltronas, um computador, uma impressora, um cabideiro de pé, uma TV e um DVD, todos eles doados pelo Ecofuturo. A Prefeitura forneceu um rack para TV, um arquivo de aço, uma mesa de escritório, duas cadeira giratórias, duas mesas com seis cadeiras infantis de fórmica e seis suportes bem criativos para livros. O Instituto Jatobá doou uma mesa, uma poltrona e um expositor de revistas feitos de bambu.
 
Endereço: Praça Ademir Rocha da Silva, s/n° – Vila Novo Pardinho, Pardinho, SP. CEP 18640-000
Local: Centro Max Feffer de Cultura e Sustentabilidade
Inauguração; 06/03/2010
Responsável: Alessandra
Contato dos funcionários: alessa.keller@hotmail.com (Alessandra), anna.lbarros@hotmail.com (Ana) e dadinha_rocha@hotmail.com (Ana Lúcia)
 
Biblioteca Comunitária Ler é Preciso de Parintins/AM
 
O espaço que abriga a Biblioteca é composto por duas salas amplas, dois banheiros e uma área externa coberta que, apesar de pequena, é um local agradável para o leitor apreciar os livros do acervo. Numa das salas está o acervo infantil e na outra, os acervos juvenil, adulto e de autores amazonenses.
 
A Biblioteca é central, iluminada, pintada de cores que chama a atenção. A decoração da sala do acervo adulto tem toques regionais, com cestas de vime para as revistas, remos, esteiras e uma rede de pescador com o acervo da literatura amazonense em um dos cantos, junto a um barco de madeira. A sala infantil é bem colorida, enfeitada e bastante sedutora para as crianças lerem.
 
A Biblioteca Comunitária de Parintins conta com seguintes mobiliários e equipamentos: computador, impressora, uma canoa pequena de madeira para abrigar o acervo de escritores locais, dois baús para uma biblioteca itinerante que pretende levar o acervo a outras comunidades, três pufes grandes e coloridos, dez almofadas de tecido, um carpete, quatro pufes médios coloridos, dois brinquedos de balanço para crianças pequenas, dez cadeiras de plástico infantil, duas esteiras de vime, quatro almofadas de tecido grandes, oito cortinas de tecido para as oito janelas da Biblioteca, uma poltrona grande para a leitura de histórias, três estantes infantis de madeira, três mesas com doze cadeiras infantis de madeira, um tapete emborrachado, três cadeiras de adulto, quatro aparelhos de ar-condicionado, um armário de madeira com portas, cinco estantes de madeira.
 
Há espaços para leitura em ambas as salas, além da área externa.
 
Endereço: Av. Ministro Antônio Cabreira, s/n° – Gleba Vila Amazônia, Parintins/AM. CEP 69150-580.
Local: Escola Municipal Otávio Guedes
Inauguração: 27/11/2009
Responsável: Joelma
Contato dos funcionários (Adarlene e Virgínia): indiaparintintin@hotmail.com
 
 
 
Equipe Responsável: Instituto Ecofuturo
Texto: Reni Adriano
 
Para ir além
 
– Infraestrutura das bibliotecas: disponibilidade e organização do espaço físico. Clique para ler
 
– Biblioteca escolar como espaço de produção do conhecimento – parâmetros para bibliotecas escolares. Publicação da Universidade Federal de Minas Gerais. Para ler, clique
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe seu comentário