07 mar

Manacá: Beleza que renova!

Por trás da beleza do manacá-da-serra (também conhecido como quaresmeira) está a sua importância para o processo de restauração da Mata Atlântica. Presente no Parque das Neblinas, reserva ambiental de uso sustentável da Suzano Papel e Celulose, gerida pelo Instituto Ecofuturo, essa árvore desempenha o papel de “cicatrizar” o solo em áreas degradadas.

Além de dispersar muitas sementes, é uma das primeiras espécies a germinar quando surgem clareiras na floresta, pois precisa de luz para se desenvolver – por isso, é chamada de espécie pioneira. Isso acontece relativamente rápido e sua vida é “curta”, durando de sete a oito anos. Ao crescer e se desenvolver nas clareiras, o manacá fornece sombra para que outras espécies que precisam de sombra germinem, contribuindo assim para o processo de sucessão natural da Mata Atlântica.

Curiosidades:

  • O manacá floresce mais comumente no período da quaresma, e por isso também é conhecido como “quaresmeira”;
  • As flores mudam de cor à medida que envelhecem, e podem ser branca, rosa e lilás;
  • Seu nome científico é Tibuchinia mutabilis, pois suas flores mudam;
  • Quanto menos manacás são vistos em uma floresta, mais saudável ela está. Isso acontece porque ao “cicatrizar” as clareiras, os manacás não têm tanta luz para germinar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe seu comentário